unitri

Mídia e Eventos

Publicações

Voltar

Artigos - 31/07/19

Privatização de empresas estatais podem atingir valor recorde no Brasil

O valor arrecadado com o programa de privatizações do governo federal pode ultrapassar o acumulado em todos os governos anteriores desde 1990.

Com a aprovação da reforma da previdência na Câmara dos Deputados, após quase cinco meses de negociações e intensa articulação política, espera-se que uma nova fase se inicie no governo brasileiro e no país.

Embora as votações no Senado ainda estejam pendentes, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, acredita que agora seja o momento de acelerar as privatizações, que estão devagar no momento, também para não causar muita interferência na reforma da previdência social.

O programa de privatização é ambicioso e, caso implementado, mesmo que parcialmente, promete mudar o perfil econômico do país. Uma pesquisa indica que o programa de privatização do pais poderia alcançar R$450 bilhões (mais de US$ 120 bilhões).

No mercado financeiro as previsões são próximas desses valores.  O Bradesco BBI estima que é possível alcançar R$470 bilhões. O Credit Suisse acredita que a potencial arrecadação com a privatização no Brasil está estimada em R$400 bilhões. Se o programa arrecadar metade do apontado pelo Bradesco e pela Credit Suisse, o programa arrecadaria em torno de R$200 e R$235 bilhões – o governo atingirá a maior arrecadação no programa de privatização brasileiro.

Um estudo do BNDES aponta que 99 operações de privatização ocorreram entre 1999 e 2015 no país e totalizou US$ 45 bilhões.

No governo Michel Temer, houve a arrecadação de R$ 46,4 bilhões (aproximadamente US$ 12 bilhões) em 24 projetos, sendo que que R$28 bilhões foram no setor de petróleo. Todo esse investimento arrecadou até hoje US$ 65 bilhões, o equivalente a um terço do que o governo atual pretende arrecadar, no cenário mais pessimista.

Caso os planos de Guedes se concretizem, o Brasil será considerado como o país com o maior programa de privatização do mundo.

Em termos financeiros, não seria novidade que grandes países emergentes ou até mesmo desenvolvidos comandem um programa dessa magnitude.

Os cálculos acima apenas indicam os valores arrecadados pelo governo com a privatização. Devemos ter em mente que outros valores significativos devem ser aportados para a realização e desenvolvimento dos projetos de investimento no Brasil.

Há uma série de setores envolvidos no programa de privatizações, que devem abranger transportes, óleo e gás, mineradoras e serviços financeiros.

O programa de privatização deverá atrair oportunidades de investimentos estrangeiros no Brasil e um crescimento na economia, uma vez que empresas trarão melhores serviços, de ampla variedade de setores e trarão estímulo para a economia.

É importante destacar que, por conta de experiências anteriores, os investidores que adquirem as empresas privatizadas acabam também trazendo oportunidades para fornecedores de equipamentos e serviços qualificados como engenharia, construção, montagem, supervisão e qualidade de controles de segurança, inspeções, TI e comunicação. Assim como para parcerias de negócio, gerenciamento de projetos, estruturas financeiras, seguros e garantias.

Por esta razão, é possível acreditar que não seria surpresa nos depararmos com uma nova onda de “players” internacionais para o desenvolvimento destes projetos.

Atuações
Relacionadas